Curiosidades Novelísticas

Vamos de algumas curiosidades sobre novelas? =P

1) O Brasil literalmente parado

Sabe qual foi a maior audiência de novela das 21h dos últimos tempos? O capítulo final de “América”: 66 pontos de média, 70 de pico e 82% dos televisores ligados. Isso que é estrondo.

2) Plano B

Críticas não faltam à atuação de Alessandra Negrini como as gêmeas Paula e Taís, protagonistas de Paraíso Tropical. Mas isso pode ter uma explicação: os papéis nunca foram escritos pra Alê. Gilberto Braga e Ricardo Linhares criaram as personagens para Cláudia Abreu, que teve de se afastar da novela porque engravidou.

3) Sucesso pra uns…

Como regra, novela das 21h sempre é a maior audiência da casa. Mas nem sempre isso acontece. Um dos casos mais recentes é o da novela “Escrito nas Estrelas”, que exibida às 18h, às vezes conseguia índices superiores aos de “Passione”, novela das 21h da época. Que vexame!

Tags: , ,

Horóscopo – Império

Olha só que legal esse horóscopo  que o Celso Dossi e o Nilson Xavier fizeram baseados nos personagens de Império.

Dá uma olhada no seu signo. Aqui bateu tudo! haha

Tags: ,

Cara de um… focinho do outro?

Em Império, com a mudança de fase, uma coisa chamou atenção de todos os telespectadores: A semelhança entre os atores que viveram os mesmos personagens na primeira e na segunda fase.

Qual dupla é, pra você, a maior surpresa da novela?

Top 5 – Bordões

Algumas personagens ficam marcados não apenas pela sua história… mas por uma ou outra frase que soltam em um único capítulo e que, em tempos de internet, acabam se tornando virais. Vamos relembrar alguns?

1 – Maria do Carmo, Senhora do Destino

2 – Nina, Avenida Brasil

3 – Márcia, Chocolate com Pimenta

4 – Bianca, Caras & Bocas

5 – Félix, Amor à Vida

E semana que vem tem mais!

7 motivos para você não perder a reprise de “Cobras & Lagartos”

A tarde de ontem vai ficar marcada na memória de muitos fãs de telenovela, graças ao acontecimento que eu, você e o Brasil inteiro esperávamos há anos: A reprise de “Cobras & Lagartos”, sucesso estrondoso de crítica e público e uma das novelas mais amadas da última década.

Se por algum motivo você deixou de assistir a essa obra-prima em sua primeira exibição (ou se você era muito novo e não se lembra ou se você simplesmente não se lembra), damos agora SETE (isso, não 1, nem 2, nem 3… mas 7!) motivos para você não desgrudar os olhos das tardes da Globo nos próximos meses.

1 – É novela boa no Vale a Pena Ver de Novo

Em tempos de domínio de Walcyr Carrasco no horário e ante a possibilidade da enésima reprise de “Chocolate com Pimenta” (que a gente gosta, MAS JÁ DEU, NÉ?), é pra levantar as mãos pro céu e agradecer ao Ministério da Justiça por finalmente ter liberado uma das melhores novelas da história para a reprise.

2 – Foguinho

Mesmo quem não assistiu à novela sabe quem é Foguinho. Um dos melhores personagens da história, brilhantemente interpretado por Lázaro Ramos, Foguinho caiu nas graças do Brasil, seja por seu humor peculiar, seu coração puro, seu jeito bagunçado de levar a vida ou seu amor platônico por…

3 – ELLEN! <3 <3 <3

E se Foguinho sozinho já era uma delícia, imagina Foguinho com Ellen???? Lázaro e Taís formaram uma das melhores duplas da história da teledramaturgia e imortalizaram suas personagens.

4 – Casal com química

Em tempos de Marina&Pedro, Paloma&Bruno, Renê&Griselda, Davi&Manuela e mais uma quantidade ENORME de casais que não funcionaram, é um alento ter Bel e Duda, brilhantemente interpretados por Mariana Ximenes e Daniel de Oliveiras, de volta.

5 – Os bordões

“Luxus. Eu tenho, você… Não tem.”
Por mais que você, caro leitor, tenha assistido à novela quando era criança, você certamente se lembra dessa e de outras tiradas geniais das personagens. Poucas vezes o texto de João Emanuel Carneiro esteve tão afiado.

6 – Vilões fantásticos

E o que dizer de uma novela que, além de mocinhos, tem vilões fantásticos? Carolina Dieckmann, apesar do cabelo horrível, interpretou o papel de sua vida e imortalizou a psicopata Leona no imaginário popular.

7 – História que prende

E mais que divertir, Cobras&Lagartos sabe prender. A história da novela é cheia de viradas, não tem barriga e, quando você menos espera, tudo muda. João Emanuel Carneiro neles!

É isso. Pedimos aos deuses das telenovelas que nos deem força para aguentar “Caras & Bocas” essa semana, todo dia, antes de assistir a essa delícia. O sacrifício vale a pena

Tags: ,

Império começa surpreendendo positivamente

Bom, não vamos ser hipócritas e dizer que, depois de Fina Estampa, todo mundo acreditava em Império, porque né? É bem o contrário. De qualquer forma, depois da trinca “fantástica” de Salve Jorge-Amor à Vida-Em Família, a gente aproveitou a chance e recebeu a nova novela de Aguinaldo Silva de braços abertos. E não é que, ao menos no primeiro capítulo, a surpresa foi positiva?

Elencamos aqui as melhores coisas da estreia da novela:

1 – A trilha sonora

De um instrumental macabro que resultou numa das melhores primeiras sequências dos últimos anos a Paralamas do Sucesso e Carla Bruni, passando até por ENROSCA O MEU PESCOÇO… A seleção de músicas escolhidas para embalar essa estreia surpreendeu do começo ao fim.

2 – Cora /Marjorie Estiano

Parece que Cora veio meio disposta a se tornar a nova personagem preferida do Brasil. Com 30 minutos de tela e um show de atuação de Marjorie Estiano, a vilã tomou o capítulo para si e foi o grande nome dessa estreia, com uma personagem que, ao mesmo tempo em que parece não ter noção que é má e achar que está fazendo bem, solta um “Eu fiz porque eu quis. E se quisesse, faria de novo.” Diz se tem como não amar? <33

3 – Chay Suede

O menino rebelde cresceu. E não é que fez bonito no papel de protagonista dessa primeira fase? Chay segurou bem as pontas e interpretou direitinho o então jovem e ingênuo José Alfredo que anos depois se tornará o temível Comendador (vivido por Alexandre Nero).

4 – A abertura

Lucy in the sky with Diamonds…. (8) Os portais já tinham dado a notícia, mas ouvir uma canção dos Beatles (na voz de Dan Torres) em uma abertura de novela das 21h foi uma ótima sensação. Pra completar, as imagens da abertura em si também são belíssimas e combinaram perfeitamente com a melodia.

5 – O ritmo da história

Foi apenas um capítulo, mas já tivemos, sei lá… mais acontecimentos que em Viver a Vida e Em Família juntas??? Em uma hora de novela, conhecemos o Comendador e sua filha, voltamos no tempo, José Alfredo foi passar um tempo com o irmão, se apaixonou por Eliane, viveram sua história de amor, ela engravidou, Cora entrou em ação, interceptou a fuga, safou a pele da irmã, José Alfredo conheceu Sebastião, Sebastião morreu, José Alfredo matou, viajou e conheceu Braga. Ufa! Vamos torcer para que o ritmo de acontecimentos continue quando começar a segunda fase da história, impedindo a novela de cair num marasmo.

6 – Diálogos certeiros

“Eu fiz porque eu quis. Porque me deu vontade. Faria tudo de novo. Faria pior. E se isso é ser má, então eu sou.”

“No amor, não existe certo ou errado.”

“Morrer nunca esteve nos meus planos.”

“Diamante é pra sempre. Dinheiro não. Dinheiro é só papel.”

E essas foram apenas algumas das frases que o capítulo trouxe.

7 – A direção

Talvez o grande problema das últimas obras de Aguinaldo Silva finalmente esteja resolvido. A direção de Wolf Maya conferia às suas obras um tom quase que de deboche, colorido demais, caricato demais. O que se viu no primeiro capítulo de Império foi o oposto disso. Uma direção fechada, pesada, atores abusando de expressões faciais e entonações vocais… Um intimismo que o texto pedia.

Em resumo: Império começou com tudo e promete ser um novelão daqueles. Vamos torcer para que o Aguinaldo Silva tenha mesmo decidido apagar a imagem de Fina Estampa das nossas mentes.

Tags: , , , ,

4 coisas que você irá encontrar em Império, nova novela das 21h

A nova novela das 21h, escrita por Aguinaldo Silva (famoso por obras como “Tieta”, “Senhora do Destino” e “Fina Estampa”), estreia com a difícil missão de reerguer o principal horário de novelas da Globo após o fiasco numérico que foi “Em Família.” E se tem Aguinaldo Silva, mesmo antes de assistir ao capítulo, a gente já sabe que algumas coisas não vão faltar em “Império.”

1) Nomes duplos e “mexicanizados”

Maria Isis, Maria Marta, Maria Clara, José Pedro, João Lucas…

Nomes duplos, fortes e com ares de novela mexicana têm sido uma característica nas novelas do autor e, em Império, não será diferente. Além disso, vilões amargurados (Drica Moraes e Lilia Cabral) e capazes de passar por cima de qualquer coisa para alcançar seus objetivos também estarão presentes.

2) Polêmicas

Novela de Aguinaldo Silva sem polêmica não é novela de Aguinaldo Silva.

Aqui, o casal formado por José Mayer e Klebber Toledo já despertou a atenção antes mesmo de ir ao ar. Mayer encarna um homem dividido entre sua mulher de anos e seu amante, interpretado por Toledo. As especulações sobre um provável beijo gay já estão, é claro, a todo vapor. Se irá acontecer ou não, só acompanhando a novela pra saber.

3) Uma heroína sofredora

Maria do Carmo, Maria Paula, Griselda… Outra forte característica das novelas de Aguinaldo é a presença de uma mocinha que, provavelmente, vai comer o pão que o diabo amassou nas mãos de metade do elenco da novela. A heroína em questão aqui é Cristina, interpretada por Leandra Leal, a filha do Comendador (Alexandre Nero), o anti-herói protagonista da novela.

4) Uma história de amor, desejo e traição

A trama que movimentará Império será, segundo o próprio Aguinaldo Silva, um “novelão”. Durante a primeira fase da novela (os quatro primeiros capítulos), o público será apresentado à história de amor conturbada que surge entre José Alfredo e Eliane, interrompida graças à amargura da irmã de Eliane, Cora. Durante o segundo momento da história, os episódios de tensão continuarão guiando a trama graças à ambição de Cora (que o autor comparou à clássica Nazaré Tedesco) em se dar bem e à conturbada vida de Cristina.

Todos ligados em Império hoje?

Logo menos, você confere aqui nossas Primeiras Impressões.

Tags: , , , ,

Meu Pedacinho de Chão: Primeiras Impressões

“Cinco… Quarto… Três… Dois… Um… PAREM! Espera aí, aonde vocês pensam que vão? Plunct, Plact, Zum, não vai a lugar nenhum!” (Maluco, Carimbador)

Quando eu era criança, tinha uma fita K7 com a gravação desse especial do Balão Mágico e assistia a essa desgraça todos os dias. Sabia todas as falas de cor, cantava todas as músicas e viajava no visual diferente e fantasioso que o programa trazia.

Era um programa infantil, instrutivo e inovador. Marcou toda uma geração e demorará mais outras tantas pra cair no esquecimento.

Ontem, ao assistir à estreia de Meu Pedacinho de Chão, senti todo esse gostinho de infância outra vez na minha boca.

Ouvi falarem de Mágico de Oz, Alice no País das Maravilhas, Sítio do Pica Pau Amarelo. Eu digo que são todas essas coisas juntas, cada espectador que tenha suas referências de infância.

O Pedacinho de Chão da minha infância é e sempre será Raulzito e seu Carimbador Maluco.

O impacto visual que o espetáculo propôs a nos trazer é o carro chefe, ou no caso da novela, a locomotiva chefe, de toda uma trama social e cheia de fantasias infantis. Mas a coisa vai muito além das cores impressionistas pintadas na aquarela da nossa TV.

O experiente e habilidosíssimo Benedito Ruy Barbosa trouxe um pouco de sua marca, fazendo renascer um rei do gado em meio ao pantanal visual do seu pedacinho de chão.

O autor transportou seus coronéis e tramas de sertão para um mundo de fantasias, fazendo dessa ousada novela uma obra atual e atemporal ao mesmo tempo. É quase como se o Paulo Barros assumisse a direção de arte de Sinhá Moça. Não se engane com as cores, a temática continua monocromática: Problemas sociais e disputa pelo poder.

E digo isso, porque ela tem toda cara de ser uma “novela exportação”. Que cabe em qualquer realidade, em qualquer época, sem precisar se prender à cultura local de onde ela for exibida.

Nem é preciso ser o IPEA pra fazer uma pesquisa e descobrir que o folhetim de maior sucesso recente foi Avenida Brasil. Mas será que uma novela tão realista, tão algemada à cultura e temporalidade brasileira atual, venderia tanto para lugares com realidades diferentes da nossa?

Meu Pedacinho de Chão, sim! O mesmo aconteceu com Cordel Encantado e Lado a Lado. Novelas atemporais e com produção de cinema, feitas pra serem vendidas mundo afora.

Até a trilha sonora escolhida, com a belíssima música “The Winer Is”, tema do filme Little Miss Sunshine, marca um ar de internacionalização da novelinha brazuca. Se no filme tínhamos a aventura de uma Kombi colorida encantando toda a cidade, na novela marcou a chegada de uma locomotiva encantada na cidade colorida.

Não basta agradar ao público tupiniquim, se uma novela quiser viajar mundo afora, tem que ser selada, registrada, carimbada, avaliada, rotulada, se quiser voar! Afinal, pra Lua a taxa é alta, pro Sol a identidade, então vá já pra sua locomotiva viajar pelo universo, pois essa novela já tem o meu carimbo de sim, sim, sim, sim!

  • Se Plunct, Plact, Zum não vai a lugar nenhum, Meu Pedacinho de Chão vai muito longe e tem todo o mundo aos seus coloridos pés.

Tags: , , ,

5 gifs que definem “Em Família”

Uma imagem vale mais que mil palavras? Sim.

Um gif? Define absolutamente tudo.

Sobre “Em Família”?

Mas tudo tem uma explicação, né?

Um oferecimento:

RONC.

Tags: , , , , , , , , ,

Piadinha do dia

Do site oficial da novela:

Primeiro, vamos listar o que é realmente parecido nos dois:

– o lóbulo da orelha

– o epitélio mucociliar que reveste as vias aéreas

– a cor dos olhos

– a unha do dedinho, talvez.

Mas o problema é que o Guilherme anda se achando MESMO parecido com o Harry, dai inventou de praticar

magias…

E parece que ele anda obtendo sucesso

E vamos dizer mais uma vez: nós não estamos insinuando nada, ok? ABSOLUTAMENTE NADA.

Tags: , , , , , , , , , ,